A Exemplo de Jesus, Afastar-se da Maldade e se Aproximar de quem Sofre

Na Solenidade da Ascensão do Senhor, que a Igreja de muitos países, inclusive do Brasil, celebra neste domingo (12/05), o Pontífice exorta a seguir o caminho de Jesus. É como uma “escalada em grupo” pelas montanhas: enfrenta-se dificuldades na subida, mas “passo a passo”, “com alegria” – e como Maria que já alcançou a meta -, percorremos um caminho consciente e transformado pelo Espírito rumo à glória do Céu. – Andressa Collet – Vatican News

Na alocução que precedeu a oração mariana do Regina Caeli deste domingo (12/05), o Papa Francisco refletiu sobre o Evangelho do dia (Mc 16,19), data em que a Igreja de muitos países, inclusive do Brasil, celebra a Solenidade da Ascensão do Senhor. A liturgia mostra que Jesus aparece aos Apóstolos e confia “a tarefa de continuar a sua obra”. Com o retorno ao Pai, comentou o Pontífice, Cristo não se separa de nós, mas precede o nosso destino.

Francisco sugeriu a imagem das montanhas para compreender a Palavra, quando se sobre em direção a um cume: “caminha-se, com dificuldade, e, finalmente, em uma curva do caminho, o horizonte se abre e se vê o panorama”. Nessa hora as forças são redobradas para chegar ao topo: “e nós, a Igreja, somos exatamente aquele corpo que Jesus, tendo subido ao céu, arrasta consigo como em uma ‘escalada em grupo’”, mostrando “passo a passo”, “com alegria”, “a beleza da Pátria para a qual estamos caminhando”. E o Papa mostra quais são esses passos a serem dados até o caminho final:

“Dar vida, levar esperança, afastar-se de toda maldade e mesquinhez, responder ao mal com o bem, aproximar-se dos que sofrem. E quanto mais fizermos isso, mais nos deixamos transformar por seu Espírito, mais seguimos o seu exemplo, e mais, como nas montanhas, sentimos o ar ao nosso redor se tornar leve e limpo, o horizonte amplo e a meta próxima, as palavras e os gestos se tornam bons, a mente e o coração se expandem e respiram.”

Ao final da reflexão, o Papa pediu a intercessão de Maria para nos ajudar a chegar à meta, que ela já alcançou, através de um caminho consciente rumo à glória do Céu:

“Então podemos nos perguntar: está vivo em mim o desejo por Deus, por seu amor infinito, por sua vida que é vida eterna? Ou estou castigado e ancorado às coisas passageiras, ao dinheiro, ao sucesso, aos prazeres? E o meu desejo pelo Céu, me isola, me fecha ou me leva a amar os meus irmãos com um coração grande e desinteressado, sentindo que eles são meus companheiros no caminho ao Paraíso?”

Fonte: www.news.va (Official Vatican Network)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *