Papa Recorda a Festa da Divina Misericórdia: Pedir a Graça do Perdão e do Amor

Papa recorda a festa da Divina Misericórdia: pedir a graça do perdão e do amor Na Audiência Geral desta quarta-feira, ao saudar os fiéis poloneses, o Papa Francisco citou a festa da Divina Misericórdia instituída por São João Paulo II. Pedir a Cristo misericordioso a graça do perdão e do amor operoso pelo próximo: assim, o Papa Francisco recorda a Festa da Divina Misericórdia, que a Igreja celebrará no próximo domingo (11/04). O Pontífice cita São João Paulo II que, ao institui-la, “nos recorda que a liturgia parece traçar o caminho da misericórdia que, enquanto reconstrói a relação de cada um com Deus, suscita também entre os homens novas relações de fraterna solidariedade”. “Cristo nos recordou que o homem não Continue Lendo →

Evangelho do Dia – Quinta-Feira 08.04.2021

 Leitura (Atos 3,11-26) Leitura dos Atos dos Apóstolos. Naqueles dias, 3,11 como o paralítico não deixava mais Pedro e João, todo o povo, assombrado, foi correndo para junto deles, no chamado “Pórtico de Salomão”. 12 Ao ver isso, Pedro dirigiu-se ao povo: “Israelitas, por que vos espantais com o que aconteceu? Por que ficais olhando para nós, como se tivéssemos feito este homem andar com nosso próprio poder ou piedade? 13 O Deus de Abraão, de Isaac, de Jacó, o Deus de nossos antepassados glorificou o seu servo Jesus. Vós o entregastes e o rejeitastes diante de Pilatos, que estava decidido a soltá-lo. 14 Vós rejeitastes o Santo e o Justo, e pedistes a libertação para um assassino. 15 Vós matastes o autor Continue Lendo →

Santos do Dia da Igreja Católica – 08 de Abril

Santa Júlia Billiart Na cidade de Cuvilly, França, em 12 de julho de 1751, nasceu Maria Rosa Júlia Billiart, filha de Francisco e Maria Antonieta, pobres e muito religiosos, que a batizaram no mesmo dia. Júlia fez a primeira comunhão aos sete anos. Desde então, Jesus foi o único alimento para sua vida. Aprendeu apenas a ler e a escrever, porque ajudava a sustentar a família. Aos treze anos, Júlia sofreu sérios problemas e, subnutrida, ficou, lentamente, paraplégica, por vinte e dois anos. Durante esse tempo aprendeu os mistérios da vida mística, do calvário, da glória e da luz. Sempre engajada na catequese da paróquia, preocupava-se com a educação dos pobres. Cultivava amizades na família, com os religiosos, com as Continue Lendo →