Globalização da Esperança: 5 Anos Atrás, o Encontro do Papa com os Movimentos Populares

Globalização da esperança: 5 anos atrás, o encontro do Papa com os Movimentos Populares Em 9 de julho de 2015, o Papa Francisco estava na Bolívia, em visita apostólica. Passados cinco anos, o próprio Papa se tornou um dos artífices e articuladores do “processo de mudança” que pediu aos movimentos populares ao impulsionar inúmeros eventos, sendo o próximo deles “A Economia de Francisco”. – Bianca Fraccalvieri – Vatican News Exatamente cinco anos atrás, em 9 de julho de 2015, o Papa Francisco estava na Bolívia, em visita apostólica. A viagem incluiu também outras duas etapas: Equador e Paraguai. Na Bolívia, o evento principal se realizou em Santa Cruz de la Sierra com os Movimentos Populares para o II Encontro Mundial. Continue Lendo →

Evangelho do Dia – Sexta-Feira 10.07.2020

Leitura (Oséias 14,2-10) Leitura da Profecia de Oséias. Assim fala o Senhor: 14,2 Volta, Israel, para o Senhor, teu Deus, porque estavas caído em teu pecado. 3 Vós todos, encontrai palavras e voltai para o Senhor; dizei-lhe: “Livra-nos de todo o mal e aceita este bem que oferecemos; o fruto de nossos lábios. 4 A Assíria não nos salvará; não queremos montar nossos cavalos, não chamaremos mais ‘Deuses nossos’ a produtos de nossas mãos; em ti encontrará o órfão misericórdia”. 5 “Hei de curar sua perversidade e me será fácil amá-los, deles afastou-se a minha cólera. 6 Serei como orvalho para Israel; ele florescerá como o lírio e lançará raízes como plantas do Líbano. 7 Seus ramos hão de estender-se; será seu esplendor como o Continue Lendo →

Santos do Dia da Igreja Católica – 10 de Julho

Santo Antônio Percierskij Antônio, que antes se chamava Antipas, nasceu na Ucrânia no ano de 983. Percierskij, na realidade, não é o seu sobrenome, mas sim um apelido e tem um significado: “da gruta”. Trata-se de uma referência à cela, escavada por ele mesmo, no vale de Dnjepr, próximo a Kiev, que deu origem à vida monástica russa. Antônio “da gruta”, desde a adolescência, sempre buscou a solidão das cavernas, típicas de sua região, para suas orações contemplativas. Depois viveu, até os quarenta e cinco anos de idade, peregrinando solitário pelos inúmeros mosteiros do monte Athos, na Grécia. Os registros indicam que ele permaneceu alguns anos no mosteiro de Esphigmenon, quando decidiu continuar a vida de penitência e oração na Continue Lendo →