Evangelho do Dia – Sábado 20.04.2019

Primeira Leitura (Gênesis 1,1-31;2,1-2) Leitura do Livro do Gênesis: 1,1 No princípio Deus criou o céu e a terra. 2 A terra estava deserta e vazia, as trevas cobriam a face do abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas. 3 Deus disse: “Faça-se a luz!” E a luz se fez. 4 Deus viu que a luz era boa e separou a luz das trevas. 5 E à luz Deus chamou “dia” e às trevas, “noite”. Houve uma tarde e uma manhã: primeiro dia. 6 Deus disse: “Faça-se um firmamento entre as águas, separando umas das outras”. 7 E Deus fez o firmamento, e separou as águas que estavam embaixo das que estavam em cima do firmamento. E Continue Lendo →

Santos do Dia da Igreja Católica – 20 de Abril

São Teodoro O significado de seu nome, “dom de Deus”, tem tudo a ver com os talentos especiais que Teodoro demonstrou durante toda a vida. O religioso, nascido na segunda metade do século VI na Galícia, hoje França, desde pequeno demonstrou ter realmente vindo ao mundo para a edificação da Igreja, terminando seus dias como instrumento dos prodígios e graças que brotavam à sua volta. Diz a tradição que, já aos oito anos, procurava lugares escondidos e solitários para rezar. Depois, quando adolescente, chegou a cavar uma gruta na capela de São Jorge, especialmente para ali entregar-se à oração e a contemplação. É preciso esclarecer que, além de tudo, seus pais pediram para o filho a proteção de são Jorge Continue Lendo →

Mensagem de Páscoa do Arcebispo Dom Fernando Saburido

Imagem

Mensagem de Páscoa do Arcebispo Dom Fernando Saburido

Cristo ressuscitou. Aleluia!

Queridos irmãos e irmãs,

A boa notícia da ressurreição de Jesus é tão maravilhosa que nenhuma palavra ou explicação consegue expressá-la plenamente. Os evangelhos contam que as mulheres vão ao túmulo ainda no escuro da noite, os discípulos se reúnem em uma sala fechada com medo das autoridades judaicas… É como se pairasse no ar um clima de perigo e de certa clandestinidade transgressora. Como os primeiros discípulos do ressuscitado, temos de afirmar o contrário do que diz o sistema iníquo que domina o mundo: o túmulo está vazio. A morte não venceu a vida. A opressão e dominação não conseguiu abafar o projeto divino que não é apenas para as paróquias e para os católicos. É para o mundo. A ressurreição de Jesus nos dá forças para lutar, pois estabelece novo fundamento para nos inserir nos problemas da sociedade, lutar por políticas públicas de qualidade, como insiste nesse ano a Campanha da Fraternidade. Nessas celebrações pascais, como pastor encarregado de guiar e animar a Igreja particular de Olinda e Recife, peço a Deus e convido vocês todos/as a se associarem à minha oração por todos os padres, diáconos, religiosos/as, seminaristas e todos os que participam de comunidades na nossa arquidiocese. Peço a Deus que derrame sobre todos nós o seu Espírito de Amor para que, mesmo na diversidade e no jeito próprio de cada um, todos nós nos unamos no testemunho de uma Igreja pascal, em saída e a serviço da humanidade em nossa região na luta pacífica pela transformação dessa sociedade. Quanto mais cremos na ressurreição de Jesus, mais temos de lutar para que esse mundo seja transformado, tanto no nível das consciências, quanto no plano social e político. Nós só seremos uma Igreja pascal se todos, bispos, padres, diáconos, religiosos/as, agentes de pastoral e todos os irmãos e irmãs de comunidade não tiverem receio de ligar a fé com a vida concreta e com o compromisso de transformar essa sociedade de forma que, como diz o lema da Campanha da Fraternidade, se faça jorrar, como um rio transbordante, o direito e a justiça no mundo. Se acreditamos na ressurreição de Jesus, precisamos ser solidários com as comunidades pobres de nossa arquidiocese. Desde anos atrás e isso tem se intensificado recentemente, muitas comunidades, aqui e ali, em Recife, Jaboatão dos Guararapes, Paulista e em outras localidades, são transferidas e deslocadas de onde moravam para dar lugar a projetos urbanísticos que pensam a cidade a partir da ambição e a projetam para o benefício da pequena elite que a domina. É preciso que mesmo as pessoas que não creem, ao olhar o modo como vivemos e como atuamos na sociedade, possam perceber que, como diz a carta de João: “passamos da morte para a vida porque amamos efetivamente os nossos irmãos” (1Jo 3, 14). É isso que desejo e peço para cada um e cada uma de vocês. O Cristo ressuscitou, o mundo está salvo. Feliz Páscoa!

Dom Antônio Fernando Saburido, OSB

Arcebispo de Olinda e Recife